Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


IMPRESSO PARA CANDIDATURA CORPOS SOCIAS




calendário

Dezembro 2010

D S T Q Q S S
1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


Uma História como prenda de Natal aos Pais...

Terça-feira, 21.12.10

Os Pais que não queriam ir à Escola

 

(História para acordar…)

 

 

Era uma vez uns Pais que não queriam ir à Escola!

«Pois é, mas os Pais não vão à escola», diriam os Filhos.

«Para eles, a escola há muito que passou, agora só trabalham, trabalham e trabalham e não têm tempo para nada…»

Mas aí é que os filhos se enganavam!

Os Pais até que conseguiam ‘arranjar’ tempo...quando queriam… Conseguiam um tempinho para ir ao café beber a bica. Conseguiam um tempinho para surfar na Internet. Conseguiam outro tempinho para ver televisão. Conseguiam tempo para ir jantar com amigos. Conseguiam um tempo para ir às compras. Conseguiam um tempinho para ir ao cabeleireiro ou ao barbeiro. Conseguiam um tempinho ao fim de semana para espairecer e durante a semana até conseguiam um tempinho para passear o cãozito.

Muitas vezes, eram convidados a ir à escola, para além das reuniões de avaliação dos professores, mas na loucura do dia-a-dia, nem se apercebiam que a escola dos seus Filhos os chamava.

«Como é que uma escola chama os nossos Pais», perguntar-se-iam os Filhos, «nem sequer tem boca!»

Ora, o que os meninos não sabem é que existem muitas maneiras diferentes de chamar… e a sua escola nos últimos tempos até já estava a gritar, só que infelizmente os Pais continuavam a não ouvir.

«E porquê que grita a escola?» perguntaram as crianças. «Será que tem alguma dor?» pensaram elas, pois por fora aparentemente tudo parecia igual ao que sempre fora.

De facto há muito que a velha escola, que já tinha sido em muitos casos também a primeira escola dos Pais, se queixava com algumas dores, mas os crescidos não se davam conta.

O passar dos anos tinha trazido cada vez mais alunos e havia cada vez menos pessoas para ajudar a tomar conta deles. E os Pais continuavam a trazer e a ir buscar os seus Filhos todos os dias, sem saber de nada. E a escola gemia…

As velhas casas de banho das crianças estavam dia sim, dia não, entupidas e a limpeza era mínima, por falta de pessoal. E os Pais continuavam a passar todos os dias pela escola, sem saber o que se lá passava. E a escola suspirava…

Um dia, uma das duas senhoras que tomava conta das crianças ficou doente de cansaço e também um pouco de tristeza por não ter ninguém que a ajudasse e ficou em casa de cama.

Nesse dia, a escola gritou tão alto, que não se pode abrir a porta e os Pais que vinham trazer os seus Filhos à escola, encontraram os portões fechados e ninguém lá podia entrar!

«E agora?» perguntavam, «onde é que vamos deixar os nossos Filhos? Como é que isto veio a acontecer?» Indignados, procuravam culpados: «Como é que deixaram chegar as coisas a este ponto?»

«Pois é,» gritou a Escola, «o que é que fizeram quando foram convidados a vir cá ver o que se passava? Fizeram alguma coisa ou deixaram que tudo se degradasse? A culpa é vossa que deixaram de querer ir à Escola!» E continuou fechada e não disse mais nada.  

Os meninos estavam tristes, eles gostavam muito da sua velha escola e dos seus professores, mas já não havia nada a fazer, pois agora já era tarde demais!

«Tivéssemos nós conseguido um pouco de tempo para ir à Escola e unido esforços para melhorar estas condições…» disseram os Pais envergonhados, «não sabíamos que as coisas estavam assim tão mal…»

 

E é assim que termina a nossa breve e triste história, pois o pior cego é aquele que não quer ver!

 

 

 

P.S. – Pergunto a vós, Pais: Não querem mudar o final a esta história?

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Escola Qtª Morgados às 13:50




Contador de Visitas