Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais sobre mim

foto do autor


IMPRESSO PARA CANDIDATURA CORPOS SOCIAS




calendário

Outubro 2012

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


5 OUTUBRO - DIA MUNDIAL DO PROFESSOR

Sexta-feira, 05.10.12

 

Qualquer sociedade que aposte no capital humano, como mola fundamental para o seu desenvolvimento, não pode ignorar os seus Educadores e Professores e muito menos hostiliza-los, apoucando a relevância social da função docente.

Os Professores não merecem ser vítimas da demagogia fácil de quem utiliza como arma de arremesso a relação entre o investimento público na área da Educação e os resultados escolares obtidos, quer em termos absolutos, quer em termos relativos quando comparados com outros países europeus.

A manipulação dos números tem sido recurso frequente de responsáveis pela tutela da Educação para objectivar a campanha de destruição da dignidade e imagem pública dos docentes, esquecendo-se de que, apesar do acrescido esforço de investimento nos últimos anos, a Educação não constitui a prioridade das prioridades uma vez que, em matéria de gastos públicos, o Ministério da Educação não se situa no pelotão da frente, ficando atrás de outros como o da Saúde, Administração Interna, Defesa e Justiça.

Portugal , no plano económico e sócio-cultural, está ainda  muito aquém da maioria dos países europeus que, apesar do seu desenvolvimento, continuam a investir na Educação mais do que nós que gastamos, em média, 4.400 euros por aluno, enquanto a média dos países da OCDE é de 5.500 euros, para não falar dos Estado Unidos cujo investimento ultrapassa os 9.000 euros.

A escola e os resultados escolares não podem dissociar-se do desenvolvimento das sociedades, da mentalidade, cultura e estilo de vida das populações. Basta, para tal, tomarmos como referência a nossa Região que, tendo cerca de 20.000 pessoas a viver do Rendimento Social de Inserção, ou seja, aproximadamente 10% da sua população, jamais pode subestimar este factor como determinante e altamente condicionador da evolução do processo educativo, por mais esforçados ou dedicados que possam ser os Educadores e Professores que trabalham nesta Região.

Não se compreende, por isso, a atitude do Ministério da Educação ao pretender demitir-se das suas responsabilidades, transferindo, essencialmente, para os professores o ónus do insucesso e do abandono escolar que afecta elevada percentagem das crianças e jovens deste país. Estas debilidades são, em parte, resultantes de uma estrutura social que emana das opções e orientações políticas dos sucessivos Governos. Persistir no ataque aos Professores, fomentando o desrespeito e o desprestigio da classe só contribui para agravar, ainda mais, a ?crise de autoridade? com que se debatem muitos docentes nas suas relações com os alunos e com a Comunidade, tornando mais difícil e desmotivador o exercício da profissão, com repercussões óbvias na qualidade da educação e do ensino.

Parabéns em especial a todos os professores da EB1/JI Quinta dos Morgados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Escola Qtª Morgados às 09:07




Contador de Visitas